18 março, 2017

Com especial atenção voltada aos livros.





Em quatro
horas apenas,
chegava 
esmiuçar um
novo livro.



             Vaidosamente exponho-os, todos eles verticalmente enfileirados em minha larga e cumprida estante

             Dentre tantas coisas boas, e maravilhosas criadas, especialmente para este mundo, criação de meu Deus. Está à leitura; Dom esse que só quem o pratica sabe muito bem, o quanto perdem os não praticantes. Rs. Esse costume trago comigo desde muitos anos. Com especial atenção voltada aos livros. Meu Pai! Ah! Meu Pai! Como este particular me envolve! A ponto de hoje em dia, calado, ficar a imaginar: o que seria de mim, se deles eu não contasse com a digna companhia?... Mais um sozinho de mãos, abanar? Um solitário moribundo a vaguear? Quem sabe?... Um desolado sem rumo certo, parando aqui, ou acolá?...
       O seu valor é inestimável. Tal como uma linha imaginária, tracejada. Posso assim dizer: Até aqui já foram tantos!... Vaidosamente exponho-os, todos eles verticalmente enfileirados em minha larga e cumprida estante. Cada um ao seu tempo, é óbvio. Lá os tenho exibido-os, como: um troféu!...
            Quantas emoções, quantas viagens, quantos passeios rápidos... Eles já me levaram consigo, e me levam; um a um, ao seu modo num mundo de: Sonhos, de drama, de encanto, de trama, de magia... Feliz o ser humano que goza de sua verdadeira amizade... Só nunca anda, só nunca vai! Quem o vê, ao longe distingue: ele mais um.
O Dr. Paulo Feitosa meu compadre e amigo do peito; foi um devorador assíduo, e meu, também importante incentivador literário. Em quatro horas apenas, chegava a esmiuçar um novo livro. Sempre que eu podia passava em sua casa, para dos seus conhecimentos levar. Sempre que ele podia passava lá em casa, para a minha amizade cultivar.
           Foi num desses dias, que ele conduziu-me a parte da casa, na sala que ele mais gostava e assim falou-me: A minha vida toda me dediquei a guardar este tesouro que você conhece, queria eu que um dia, um dos meus filhos fosse possuidor e consumidor do dom da leitura, coisa que isto nunca aconteceu; pois nem pai eu sou... Deus não quis, deu-me uma mulher de madre fechada... Quero em vida passar-lhe este bem. Dê prosseguimento e quem sabe um dia verá um de seus herdeiros, folheando-o.
         Eles não tardam a vir, já chegaram, estão chegando... O dito do Dr. Paulo Feitosa ainda não vi, mas posso ver! Trata-se de uma questão de tempo... É tudo deles, guardo pra eles!... Acontecendo dessa forma. Assim será mais um dia maravilhoso, aguardado. E como em tudo na vida, aquilo que nos sucede, devemos sempre agradecer. Nessa eu também direi: Muito obrigado! Mas, muito obrigado mesmo! Valeu muito a pena esperar!!!...

Rs.

Faloouuu!!!


                                                                                                                Ao lado do "Pai"