27 julho, 2013

Um sonho que sonhei outro dia...









Num sonho que 
sonhei outro dia...
Vi coisas para mim,
jamais sonhadas...


                    Era o paraíso e lá não fui nem cheguei sozinho.

                Outro dia sonhei um sonho. E neste sonho que sonhei, vi coisas lindas e lugares lindos jamais sonhados, de sonhar.
                Tudo começou como tudo começa. Exatamente no princípio do começo quando eu ainda nem havia iniciado o início de um cochilo e, cochilar ali seria um passo, só um passo de um sono; de um sono profundo... Tudo de bom! Mas não naquele instante, nem naquele lugar. Naquele momento dormir ali seria uma coisa desinteressante, arriscado de mais. Arriscando-me a arriscar perder o sonho que tive, pois o sonho que eu sonhei, o sonhei acordado e acordado no sonho que eu estava jamais desejei acordar...
                Era o paraíso e lá não fui nem cheguei sozinho. Desde o princípio estive sempre muito bem acompanhado, por um ser forte alto educado, calado e alado. Que falava pouco, quase nada. Somente quando perguntado...
                 Um anjo! Pensei... Seu nome: Miguel, Gabriel?
                 Um Arcanjo, Serafim, Querubim? Quem?
                 Fui levado ao pátio central, ornado e orlado por originais flores, nas cores: rosas, brancas, vermelhas e azuis. Vi a calçada de jaspe e cristal. Vi os elegantes, grandes fortes portões celestiais. Ouvi o coral e fui convidado a me sentar na platéia e apreciar um lindo ensaio da deslumbrante e majestosa orquestra divina.
Vi! Conheci! Fui apresentado à: Isaque, Abraão e Jacó...
                  
Perguntei ao anjo: - Aqui é o paraíso?
Ele me levou ao um banco do jardim e sentando comigo, colocou a sua mão direita em meu ombro esquerdo, e disse: - É um lugar do futuro... Aonde muitos virão... Assim é o desejo do Pai, que todos os seres humanos venham para cá... Para isso o seu Filho desceu a terra, pagou um preço caro, dando a sua própria vida numa cruz. Aqui foram criadas várias moradas...

                   Mas e o paraíso, ele existe? Perguntei ao anjo.
                   Sim! O paraíso existe! E na resposta, ele apontou para a terra, localizou e me mostrou a minha própria casa... Rs
                    Levantou e disse: Ta na hora! Você deve ir.

                    Levou-me ao portão celestial, fui guiado a saída. Então o retorno...
                   Ao longe foi chegando um forte barulho... Trilhos uma locomotiva, um túnel... Metrô, minha estação... Desci...

Faloouuu!!!
Rs.



                                                                                            Ao lado do "Pai"