02 maio, 2016

Deitado eternamente em verdes pastos.





Deitado eternamente
em verdes 
pastos, guiado 
mansamente
em águas tranqüilas.




             Certamente aquele convite seria mais uma vez a protetora mão do “Todo Poderoso”, operando a meu favor.

            Até a época de minha adolescência cresci tendo a seguinte dúvida: como poderia Deus conhecer e atender o necessário para cada ser humano? Imaginava Ele um ser ocupado, sobrecarregado na solução de seus problemas mil. Acreditava num mundo ainda inacabado, pecando ignorava Ele conhecer a mim e a ti, pelo nome. Só na fase jovem-adulto elucidou-se de vez recaindo sobre mim o conhecimento daquilo desconhecido.
             Tudo se deu como tudo se da na vida de qualquer pessoa comum e incrédulo; sabe, por exemplo: quando não se tem dinheiro no bolso e bate-lhe uma vontade inesperada de comer um pastel de carne? É! Eu me lembro disso... Foi por aí que tudo aconteceu; desempregado e sem nenhum tostão até para a condução, pedi a Deus “Senhor se Tu existe mesmo, eu quero agora um pastel de carne”. Mal ditei tais palavras surgiu em mim o imprevisto de verificar o bolso interno de minha jaqueta jeans, o que encontrei, deu de sobra para pagar não só o pastel, mas também o caldo de cana e a volta de ônibus pra casa. Rs... Isso parece uma coisa boba e de fácil solução, não é mesmo? Mas e se eu afirmar que de lá para cá não tenho mais dúvida de sua infinita providência... De lá para cá aprendi a deitar-me em verdes pastos, e ser guiado mansamente em águas tranqüilas. Daquilo que preciso, Ele já sabe, conhece o meu deitar e levantar, Dele parte um anseio ardente em atender todos os desejos de meu coração. Agindo sempre como Pai o seu proceder excede todo cuidado, intercedendo sempre a nosso favor.
Veja esse recente exemplo:
Geralmente ajo sempre assim: acato todas as propostas que minha esposa tem. Magoá-la nunca! Jamais! Adoro vê-la radiante. Faze-la feliz é minha obrigação. Então ficou combinado que pro dia seguinte eu e meus funcionários iríamos carpir todo mato da roça de nossa chácara que a muito já vinha mui alto deixando assim desparecer toda sua beleza; como não sou dado à enxada, e como naqueles dias o sol era por demais, escaldante; à noite me ajoelhei e orei ao Senhor, mais por misericórdia que por gratidão e caí no sono, certo que o dia de amanhã à coisa não seria mole, não. 
               Mas veja o que se sucedeu; ainda bem cedo ela me despertou com o seguinte convite: que tal se após o almoço formos ao centro de nossa cidade conhecer e apreciar a feira de artesanato? Minhas colegas dizem que este ano estão muito melhor, com diversidade de novas barracas e, variedades surpreendentes. Rs... Disse tudo isso como se pro dia não houvesse nada... Pensei: é de Deus! Só pode ser de Deus isso aí! Certamente aquele convite seria mais uma vez a protetora mão do “Todo Poderoso”, operando a meu favor. Passear é muito melhor que trabalhar, não titubeei, de pronto aceitei e pronto. Rs...
                Se você é daqueles assim como fui em minha adolescência, que tem dúvidas da protetora mão de Deus agindo a nosso favor, sugiro que faça prova, daí por diante venha viver como eu: Deitado eternamente em verdes pastos, guiado mansamente em águas tranquilas...

Rs...

Faloouuu!!!...






  
                                                                               Ao lado do “Pai”

Nenhum comentário:

Postar um comentário