28 setembro, 2012

Bom dia com muita alegria







Tudo de bom para aproveitar
o visual e deixar o dia inteiro
passar, de papo pro ar...

                Será que quando como pipocas, como para espantar a solidão?  Nunca havia pensado nisso!...

                Naquele dia logo de manhã após me levantar, tomei um café rápido e sai, precisava tomar uns ares diferentes, tava ficando meio que fadigado já com aquelas mesmas coisas de sempre na minha frente, e aí sair um pouco seria bom pra mim, então fui.
                Enquanto ia pensei em voltar e continuar o que havia começado já há algum tempo; parei e pensei: Volto ou não volto? Se eu voltar continuo e adianto... Mas aí resolvi que o meu livro novo, aquele que ainda estou escrevendo poderia esperar mais um pouco, então continuei em frente, e fui. Fui a pé! Apreciando a avenida principal, coisa que eu não fazia já há algum tempo.
                 Decidi que não teria pressa e foi dessa forma que fiz, e achei muito bom. Andando e olhando aqui e acolá notei que muitas coisas haviam - se modificado e eu não sabia. Ultimamente tinha pouco tempo e só andava de carro...
                 Comecei a achar que deveria fazer isso por mais vezes, afinal de contas o meu bairro sempre foi muito bonito, e agora estava mais ainda: Ruas arborizadas, belos e modernos prédios demonstrando uma arquitetura fina, e um centro comercial aonde se encontram de tudo... Nossa praia é de tirar o fôlego, e ainda mais nessa época do ano (Temporada), com muita gente nova e bonita; nas novidades da moda, desfilando com roupas de banho pra lá e pra cá...
Na bifurcação que se encontra bem no meio de minha cidade, não sabia pra que lado deveria ir; então me deixei levar, e fui na direção do vento e ele me levou e eu gostei... No caminho comi frutas, da época, tomei sorvetes e bebi água com gás. (Minha preferida!) Já me acostumei e agora não abro mão.
                   A essa hora o sol já estava esquentando muito e eu imaginei a praia lotada e tive vontade de vê-la. Já de longe se notava uma quantidade massa de banhista. Fui chegando e de mansinho me apoderei de uma cadeira e uma mesa retirada de um quiosque mais próximo da orla, e pra refrescar pedi um refrigerante, com limão. Perfeito! Tudo de bom para aproveitar o visual e deixar o dia inteiro passar, de papo pro ar...
                   Logo que sentei assim do nada senti alguém tocando em meu ombro do lado direito, quando me virei, ele se apresentou do lado esquerdo. E esboçando um sorriso banguelo me disse: - Bom dia! Com muita alegria. Rs, rs, rs...
                   Esse sujeito é um velho conhecido do bairro, assim como em todo bairro tem um andarilho, no meu tem ele. Nada mais, nada menos que o: Bom dia com muita alegria! Nunca ouvi dizer que ele já fez mal a alguém, e sempre das vezes que o vi ele estava sorrindo, parecendo muito feliz. Ganhou esse apelido devido ao seu conhecido jargão que ele mesmo diz ao se aproximar das outras pessoas.
                    Como se estivesse marcado, sendo esperado e desejado puxou uma cadeira, sentou do meu lado e perguntou: - Já comeu pipocas para espantar a solidão? Rs!... Não querendo ser mal educado, respondi: Não! Nunca fiz isso! Bem... Se fiz também não sei, se fiz. Rs. Por exemplo: Sempre que assisto um filme, gosto de pipocas como companhia; mas nunca havia pensado assim!... Após a minha resposta ele fez mais outra observação: - Já reparou que quem come pipocas geralmente come sozinho?... Não! Respondi. Também nunca havia reparado nisso!... Rs!... Que interessante essa tua observação!... Ele olhou pro lado, olhou pra mim e me interrogou mais isso: - Será porque quem come pipocas, quando come, come sozinho para não dividir com ninguém?
                     Mudou bruscamente de assunto e perguntou: - Você apostaria todo o seu dinheiro num grande prêmio da loto, ganharia esse prêmio sozinho e em seguida dividiria todo o dinheiro ganho entre os seus melhores amigos?
                     Já gostando do papo, respondi: Não sei se faria isso, mas confesso ser isto um ato de muita coragem!
                     O bom dia com muita alegria novamente mudou bruscamente o assuntou, virou para mim e exclamou dizendo: - Onde você está? Acorda! Sai desse mundo de egoísmo e vai para a luz. O senhor está te chamando, vai! Vai para a luz... Olhe só você! Veja onde você está! Vai!

                      E aí do modo como veio levantou-se e foi embora.
                      Pasmado e calado permaneci ali a olhá-lo!
                     Enquanto se retirava, me perguntei:  Será que quando como pipocas, como para espantar a solidão? E quando como, como sozinho para não dividir com ninguém?... Será?...

Nunca havia pensado nisso!... Rs...

Faloouuu!!!








                                                                                            
                                                                                            Ao lado do "Pai"


14 setembro, 2012

Ontem fui à casa do meu amigo.






Isso é telepatia!
Pois agora mesmo eu ia
lhe telefonar pedindo que viesse até aqui.

                Por uns dias a gente não se via, só nos comunicando através de e-mails e por telefone

                Ontem eu fui à casa do Zé-magrão, ele é meu amigão! Desde os bons tempos do segundo ano do colégio, quando a gente pensando que éramos os mais espertos da turma cabulávamos as aulas de matemática, só para ficar do lado de fora namorando as duas irmãs gêmeas. Rs. A Rita era a minha e a Rosinha era dele. Rs. Quando o fim do ano chegou, ficamos: eu e ele de recuperação. Rs. Só sendo salvos devidos aos nossos bons trabalhos em grupo. Rs...
                Desde aí que a nossa amizade se enraizou, e de lá pra cá tem se fortalecido ainda mais... Assim: de uma forma tão simples e verdadeira, que hoje em dia depois de passados alguns anos, a gente olha para trás e vê com muita cautela, como tantas coisas se modificaram, e como tantas coisas novas vieram, e como tantas coisas que na nossa época eram ditas juras eternas, e que hoje se perderam e se foram, só deixando no tempo um fiasco rastro de um amargo, fel na boca...
               Com o passar dos tempos a nossa amizade se tornou ainda mais fiel e verdadeira, verdadeira a ponto de eu poder dizer e afirmar: nele eu tenho um amigo, um amigo em que eu possa contar para todas as horas e todos os tempos... Nele eu tenho um amigo de verdade, nele eu tenho um amigo, mas chegado que um irmão! Rs...
Então já fazia uns dias que a gente não se via, só nos comunicando através de e-mails e por telefone. Ontem, domingo à tarde, tomei a feliz iniciativa e na hora do jogo (O nosso time é o mesmo), fui até a casa dele, o portão estava entreaberto, não vacilei, o chamei e entrei; e para a minha supresa ele me atendeu correndo pelo quintal dizendo: Isso é telepatia! Pois agora mesmo eu ia lhe telefonar pedindo que viesse até aqui em minha casa para nos comermos um peixe e assistir uma boa partida de futebol!...
Ele é sempre assim: com a sua contagiante alta estima sempre em alta, faz de sua companhia uma agradável companhia para quem o acompanha. Depois do jogo e do peixe ouvimos e recordamos uns bons hinos evangélicos, daqueles que já não se ouvem mais, daqueles do tempo do vinil...
                 Quando me deparei, já era bem tarde; despedi-me, apanhei um táxi voltando de imediato para a minha casa. No caminho ia pensando: Que coisa é essa, a telepatia? Uma comunicação extra-sensorial de pensamentos e sensações, que mesmo a distância, age, entre duas ou mais pessoas. Com muito poder. Até, na aproximação...

Bem, se foi telepatia não sei!...
Más é sempre bom, ter um bom amigo. Rs.

Faloouuu!!!...

 
 
 
 
 

                                                                                           Ao lado do "Pai"