12 outubro, 2012

Qual felicidade maior: Quem acabou de chegar? Quem acabou de partir?... Rs...



Assim tal como:
As águas de um rio
que passa; gravados
estão, nos vídeo-tape
da história, sem
probabilidade nem uma,
de um pequeno retrocesso.


                  A vida é um show,
                  um espetáculo fascinante, imperdível de se viver.

                 Seu Thiago é o meu taxista favorito. Gosto dele! Ando sempre com ele e isso já tem bem mais de dez anos. Dirige bem, está sempre atento e cauteloso. Com ele nunca estou a pé, conhece a cidade toda; assim: como a palma de sua mão... Um verdadeiro gepese humano... Rs... Tempo ruim não tem, podendo ser a qualquer hora do dia ou da noite; se chamar ele vem.
                 É um homem de mente aberta, de boas idéias, e dá bons palpites. Quando a gente se encontra, o certo é que terei: uma corrida suave, boa companhia e altos papos a tagarelar. Rs. E aí a gente fala de tudo um pouco: televisão, moda, futebol, política, religião... Ah! Uma particularidade que não tem nada a ver, mais eu admiro muito em sua coragem, é: já ter se casado por sete vezes, ter doze filhos e sete netos, e atualmente morar só. Rs.
                 Numa dessas corridas que fizemos outro dia, fiz o seguinte comentário: E a aí Thiagão! Sabe aquele negócio rendoso que lhe falei outro dia? Deu certo meu, então se pudesse iria comemorar, raspando a cabeça e deixando a barba crescer. Só não faço, devido à sociedade conservadora e egísta, do meio em que vivo...
                  Então ele me respondeu: Se você pode, tem condições e gosta; por que não faz? Chute o balde, a vida é sua, toda sua! Só temos uma vida e daqui não sairemos vivos, mesmo. Por que então não viver intensamente fazendo o que melhor lhe atrever?... É duro viver uma vida enquadradinha dentro dos termos que a sociedade nos impõe... É por isso que eu não sou nada, não tenho nada e nem emprego bom arrumo. Na minha idade deveria ser alguém, mas devido a essas imposições de fazer tudo bonitinho como os outros querem, sou o que sou: um mané sem viola!...
Ah! Eu adoro a vida, sabia? Mesmo com todos os percalços que nela tem, mais eu adoro viver!... A vida é uma coisa linda...
E aí ele emendou o seu comentário com uma espécie de lamentação, que no final me fez refletir... Vejam os seus gemidos prólogos: Rs.

                  Que pena meu Pai! Que pena que num dia desses tudo vai se acabar. Todos nós, sem exceção alguma, um a um, deveremos dar um tchau para tudo isto aqui, e partir rumo ao nosso novo lar; deixando para todo o sempre, este querido abençoado velho mundo. Que castigo meu Deus! Viver e deixar de viver a vida, quando ainda que vivêssemos uma vida toda, bem vivida, mesmo assim não seriamos capazes de viver o tudo que a vida tem de melhor. Ah! Meu Pai! É uma pena saber que isto vai ocorrer!... Ainda que o céu seja a nossa morada eterna. Ainda que o céu seja a nossa casa paterna. Que pena!...
                  A vida é um show, um espetáculo fascinante, imperdível de se viver. Rs... Que diga melhor os vivos!... Rs... Com horas preestabelecidas, de início e fim; ao nascermos o nosso tempo sincronizado, começa a contar: tic-tac, tic-tac; é o relógio da nossa existência, e de minuto a minuto extingue o nosso andamento de vida... Assim tal como: as águas de um rio que passa; gravados estão, nos vídeo-tape da história, sem probabilidade nem uma, de um pequeno retrocesso.
                   Existe de modo invisível, um grande fluxo despercebido na maioria de nós; e sem fim. Um verdadeiro aeroporto de embarque e desembarque, num constante vai e vem de gente que chega, de gente vai...
                   O semi-deus que sou, quisera eu banir tal incredulidade. Qual felicidade maior: Quem acabou de chegar? Quem acabou de partir?... Rs...

                   A corrida terminou e como já era bem tarde da noite, me apressei em sair. Mas contudo, todavia, porém, entretanto... Antes abrir minha Bíblia...
                    Este mundo é muito bonito e belo e foi nos dado de maneira a desfrutá-lo, sim, isso é sabido!... Mas o céu tem a obrigação em todos os sentidos de ser muito melhor e mais belo, e eterno. Se não fosse assim à morte do meu querido irmão, Jesus; não teria sentido algum. E se ele se sujeitou em vir até aqui e passar o que passou, tenho fé, e Nele acredito; foi por um motivo justo. De modo (Isto sem pressa alguma), que quando chegar a minha hora, será um momento de grande glória... Ora vem senhor Jesus!

Rs!...

Faloouuu!!!...

                                                                                            Ao lado do "Pai"

Nenhum comentário:

Postar um comentário