26 outubro, 2014

A emoção é uma abençoada virtude.







Quando penso em Ti,
meus pensamentos voam.


            Contigo não é assim, por que quando Tu perdoas, aí estás perdoado; quando Tu saras, aí estás sarado.

           A “Emoção”, uma abençoada virtude. Que somente Tu não faz o uso em Ti, eu sei...  Glorificado sejas Tu meu Deus! Que nos teus dias, lá! Atarefado em meios, a tantas muitas importantes criações, com muita sabedoria e perspicácia não viestes a esquecer de mais esta tão nobre criação, e embuti-la na sã consciência, e vida, deste ser vivo e mortal: homem e mulher. Este estado de perturbação ou variação do espírito advinda de situações diversas, e que se manifesta como alegria, tristeza, raiva, abalo moral; comoção e outros...
            Já se foram tantas, que no afã do encontro, do prazer, da satisfação em agradar e viver, admito ser facilmente dominado; que bom ser despertado por este sentimento de estado de ânimo, que bom é viver!... E viver a vida que vivo isso me emociona muito...
            Falar em Ti então... Quando lhe conheci, não imaginava o quão grande és então li busquei conhece-lo e vi, e hoje enxergo o quanto és longânimo em perdoar, em abençoar... Poderoso Tu és em criação. Tu és aquele que planta e arranca o que está de velho plantado. És aquele que põe um pano numa velha situação e pronto, tudo se faz novo e não se fala mais nisso, dando uma nova cara aquele que já não mais tinha cara. Tu és o novo!...
Porque quando se põe um pano numa determinada situação qualquer, põe se um pano com a intenção de se encobrir algo, assim como: indesejado, inadequado ou inoportuno. Mas isso não quer dizer que sendo encoberto o algo não esteja mais lá. Rs. Continua lá sim, e quem encobriu sabe muito bem que debaixo daquele pano tem alguma coisa... Rs. Podendo até ser inquirido, se assim lhe convier; pro encobridor é obvio; mas, mais além... A coisa, o algo ou alguma coisa que um dia foi encoberta: e largada por debaixo dos panos, nota-se, mesmo que a olho nu não se possa ver. Mas se fizermos o uso de um indicado, adequado instrumento para aquela sinuosa, obscura situação, aí então se verá: como uma saliência... Assim: tal como e quando se cola um estimado objeto, caro. Mesmo que a substância aderente usada, seja por demais exata e fina, seus vestígios não sumiram totalmente. Se colocada minuciosamente, a teste; ali, encontrarás sua presença.
             Más contigo não é assim, por que quando Tu perdoas, aí estás perdoado; quando Tu saras, aí estás sarado. Portanto quando Tu pões um pano, ali debaixo não existe mais nada sujo, tudo se refaz, e o velho vira novo e não se fala mais nisso. Assim fizeste comigo, assim fizeste com tantos outros!...
              E quando eu pensava que para mim não haveria mais jeito, foi aí que Lhe conheci, e daí me fizeste uma nova criatura. Como sou grato a Ti, meu Deus!...

              Quando penso em Ti, meus pensamentos voam, e eu os soltos, e eles voam, e voltam, e eu os soltos, e eles voam e vem e eu gosto... Rs...

Faloouuu!!!








                                                                                                                Ao lado do "Pai"

Nenhum comentário:

Postar um comentário