23 setembro, 2011

Na noite do dia da festa.












                          Na noite do dia da festa.

                Na noite do dia da festa de casamento do filho caçula do meu melhor amigo, eu fui. Eu estava lá.
                Ou melhor: Eu fui! Mas eu não estava lá!
                Acontece que naquela noite aconteceu comigo o que nunca acontecera antes.
                Então é você está ali, presente naquele devido lugar; onde você antecipadamente se preparou e determinou estar, participar e assistir a todo o evento sem se queixar.
                 Mas aí a hora não passa meu irmão... Dá meia noite e não chega onze...
                 Tratava-se de uma festa bonita, com vários convidados elegantes, num lugar bonito, caro e tudo mais. Mas... Aí você conversa com alguém aqui, participa de uma outra conversa ali, outra lá. E... E...?
                    
É que exatamente aquela mesma noite quando eu já estava de saída para o tal evento; meu filho também caçula veio a mim e todo sorridente, e contente me deu um presente inusitado em que eu jamais pensei, calculei, sonhei ou imaginei ganhar, dele.
Era um pacote retangular embalado dourado; num cartão estava escrito: “Para uso exclusivo do meu super-pai”. Quando me livrei do papel de embrulho conferi; aí perplexo fiquei: Uma Bíblia! Uma Bíblia sagrada! A palavra de Deus...
                 Vindo dele, logo ele... Um filho que nunca leu a Bíblia ou creu em Deus; um ateu agnóstico e céptico...

                 Aí meu irmão, eu fui para a festa de casamento do filho caçula do meu melhor amigo por que eu tinha que ir, e fui sim; e nessa deixei o meu filho também caçula em minha casa lendo e folheando a bíblia, como eu nunca vira antes.

A festa para mim era aquela ali.

Então eu fui sim para a festa de casamento do filho caçula do meu melhor amigo.
Eu fui sim!
Eu fui!
Mas eu não estava lá...





                                                                                              Ao lado do "Pai"


Nenhum comentário:

Postar um comentário